Alumínio é responsável por revolucionar o setor de transportes

O setor automobilístico é o maior consumidor de alumínio no mundo, e isso se deve à versatilidade do material, que é usado na produção de perfis, chapas, folhas, forjados ou fundidos. No cenário brasileiro, este segmento está atrás somente das embalagens, ficando em 2º lugar.

Os benefícios do uso do alumínio no setor de transportes são inúmeros, tornando-o o principal substituto de outros metais como aço e ferro.

Na indústria

Sua fundição é energeticamente econômica, com uma baixa taxa de refugo por porosidade, alta produtividade e ainda possui um alto valor de reciclagem.

Mesmo na produção de carcaças para motores elétricos, onde o investimento é no mínimo 5x maior do que peças em ferro fundido, o uso do alumínio é visto como uma grande vantagem, devido ao peso substancialmente menor que o do ferro.

Na logística

A leveza do alumínio interfere diretamente na ergonomia da fábrica, pois facilita o manuseamento do motor pelos colaboradores e até equipamentos. Até mesmo o frete é beneficiado.

No produto final

O uso de alumínio proporciona maior desempenho, economia e segurança para os veículos. Nos motores, possibilita leveza, eficiência e maior rendimento, além de maior dissipação de calor. Seu acabamento é superior e apresenta alta capacidade de absorção de impacto, e sua alta condutibilidade térmica e elétrica revelam um grande potencial para o desenvolvimento de novas aplicações. A leveza também promove economia de combustível, por melhorar a aerodinâmica dos veículos.

Vinho em garrafa de alumínio lança tendência para o setor alimentício

A Limerick Lane Cellars, vinícola da Califórnia (EUA), reinventou o consumo de vinho ao lançar uma linha de garrafas de alumínio inquebráveis. A linha, chamada Revelshine, conta com as variedades tinto, branco e rosé.

Os apreciadores de vinho “naturebas” se viam limitados pelo peso e o risco de quebra das garrafas de vidro durante atividades ao ar livre, além de se preocuparem com um consumo sustentável.

Com o propósito de preencher esta lacuna, a vinícola pensou no meio ambiente tanto na composição da embalagem, quanto em sua utilização. A escolha do alumínio como matéria prima se deu por se tratar de um material leve, inquebrável, de fino acabamento e 100% reciclável.

Além disso, o visual da garrafa foi pensado especialmente para as ocasiões em meio à natureza. O alumínio prateado foi deixado em evidência de propósito, para ser facilmente identificado. As cores e imagens do rótulo representam paisagens naturais de forma simples e fluída, além de símbolos como prancha de surfe, fogueira, violão, remo e mochila no contrarrótulo, incentivando o público a “aproveitar o Revelshine em todas as suas aventuras ao ar livre”.

As garrafas de alumínio já existiam antes, porém esta é a primeira vez que uma grande marca toma a iniciativa de usá-las.

É possível identificar uma nova tendência de uso do alumínio como alternativa sustentável para o setor alimentício. O que você acha?

Vai construir? Conte com o alumínio em várias etapas do projeto

Obtido a partir da bauxita, o alumínio é um metal extremamente versátil e amplamente utilizado na construção civil. Confira os benefícios de sua aplicação:


Alta resistência à corrosão
Ao interagir com o oxigênio, é gerada uma película protetora denominada óxido de alumínio (Fe2O3). Estima-se que sua vida-útil seja de 40 anos, se tornando uma excelente opção para esquadrias, fechamentos e estruturas diversas que sofrem intempéries.

Elevada plasticidade
Quando em laminados de baixa espessura, o alumínio expande sua versatilidade, podendo ser usado em superfícies curvas.

Leveza
Sua leveza favorece os projetos que precisam de um material resistente e durável, sem que isso comprometa o peso da edificação. É muito utilizado em estruturas de suporte, como os que sustentam as fachadas envidraçadas, Pode ser aplicado em fechamentos horizontais, como telhas, ou verticais, substituindo a madeira e a alvenaria.

Condutibilidade térmica
Com 4,5 vezes mais condutibilidade que o aço, o alumínio é uma ótima opção para isolamento térmico, sendo preferido para esquadrias.

Na Obra
Durante a construção, o alumínio está presente com a função de sustentar divisórias e estruturas para cobertura. Sua leveza e resistência é ideal para estruturas provisórias como andaimes e escoras, que podem ser reaproveitados.

Na decoração
Seu acabamento refinado, aliado à durabilidade, o torna um material especial para a confecção de artigos domésticos como móveis e luminárias, além de portas e esquadrias diferenciadas.
Além disso, este metal é 100% reciclável, o que torna o projeto mais sustentável.

Você costuma usar o alumínio em seus projetos? Se sim, em qual parte? Compartilhe ideias conosco!

A arquitetura vernacular contemporânea como estratégia de sustentabilidade

#Indústria #GrupoTamboré #ACM

“Vernacular”, do latim vernaculus, significa “próprio do país ou da nação a que pertence”. É um adjetivo que pode ser associado a diversos predicados, como linguagem, culinária, vestimenta, arquitetura. Trazendo para termos populares, é tudo que é “típico de uma região”.

Por muito tempo, o ser humano viveu conforme as condições climáticas, geográficas e de acordo com a disponibilidade de recursos da sua região. Porém, com a globalização e o avanço da tecnologia, os trejeitos culturais foram se diluindo. Com isso, a relação estreita que a humanidade tinha para/com o ambiente se enfraqueceu.

Com a arquitetura não foi diferente. No passado, o uso de materiais e conhecimentos locais resultou em métodos construtivos peculiares e de estética muito marcante, que entretanto apenas existem hoje por apego cultural e simbolismo histórico.

Casas Musgum, em Camarões
Iglu no Polo Norte
Oca da tribo Xingu, no Brasil                                                                   

Porém, a arquitetura vernacular ganhou uma nova personalidade frente à contemporaneidade urbana, onde os materiais mais acessíveis, abundantes e inteligíveis são os tijolos, o concreto, os metais e a madeira. Temos materiais altamente refinados e duráveis, que podem ser utilizados durante gerações, seja mantendo a construção como está ou reaproveitando suas partes em outra, como por exemplo as madeiras de demolição, esquadrias, entre outros.

Mas podemos fazer ainda mais, priorizando e melhorando aqueles materiais que são passíveis de reciclagem. O alumínio é um exemplo de recurso durável 100% reciclável e de larga aplicação na construção e na decoração, e seu ciclo produtivo abraça a sociedade gerando empregos, consciência ambiental e sustentabilidade.

ACM – Conheça o revestimento do futuro

#Indústria #GrupoTamboré #ACM

Conhecido como o revestimento do futuro, o ACM – Material Composto de Alumínio vem sendo um recurso muito utilizado pela arquitetura por ser um material de alta performance na construção civil, com ótima qualidade estética e economia.

O recurso consiste em duas chapas de alumínio que envolvem um núcleo de polietileno de baixa densidade. A espessura do conjunto está ligada às necessidades de conforto termo-acústico, sendo personalizável, assim como as dimensões da chapa, conforme o projeto.

As qualidades são muitas: é um material leve e compacto de alta durabilidade, que apresenta facilidade de limpeza e manutenção. Além disso, é sustentável, uma vez que é incombustível e 100% reciclável.

Sua destinação é, principalmente, o revestimento de fachadas, porém recebe destaque na construção de portas e portões. As chapas possuem alta variedade de cores e acabamentos, podendo ser curvadas e dobradas, possibilitando o uso em estruturas cilíndricas e pilotis.

Quais são os pilares da indústria de base nacional?

#Indústria #GrupoTamboré #IndústriadeBase

Para a sustentação da economia brasileira, contamos com as industrias de base (já abordamos aqui no nosso blog, um artigo especial para explicar os tipos de indústrias, clique aqui para conferir). Hoje, analisaremos os setores que compõem seu alicerce.

Durante várias décadas, a mineração enriqueceu mineiros e o próprio governo do país, sendo a principal fonte de capital. Entretanto, com a evolução da sociedade algumas outras fontes foram agregadas para contemplar uma estabilidade financeira capaz de administrar todas as necessidades da modernidade do Estado.  

Como um dos maiores produtores de minério de ferro no mercado global, o Brasil ocupa uma posição bem vantajosa. Nossas reservas de nióbio, um metal raro, fundamental para a indústria de alta tecnologia, somam mais de 95% de toda a produção mundial.

Desfocando do extrativismo, vamos para as siderúrgicas, que são as industrias dedicadas ao tratamento de aços e ferros fundidos. O Brasil é um dos dez maiores produtores de aço do mundo, com 29 usinas, administradas por 11 grupos empresariais. Entre eles, estão Gerdau, ArcelorMittal Brasil, CSN, ThyssenKrupp CSA, Usiminas e Votorantim.

E por fim, temos o setor de Papel e Celulose, que move empresas votadas para livros, jornais, revistas, notas de dinheiros, embalagens e etc. Segundo a Indústria Brasileira de Árvores – entidade que representa 62 empresas e emprega cerca de 5 milhões de pessoas direta ou indiretamente –, os projetos de investimento das empresas chegaram a 53 milhões de reais até 2020. Entre as maiores do setor estão Suzano, Klabin, Fibria, International Paper e Cenibra.

Agora ficou claro quais são as partes importantes para a manutenção da economia brasileira? Compartilhe esse conteúdo com seus amigos.

Empresa adere à embalagem de alumínio para água mineral

#Indústria #GrupoTamboré

O Brasil é o maior reciclador de alumínio desde 2001. A reciclagem do material traz inúmeros benefícios para os brasileiros, já que envolve desde produção de renda com a geração de empregos à sustentabilidade e preservação da natureza do país. Graças aos esforços dessa cadeia (fabricantes de chapas, envasadores de bebidas, cooperativas e recicladoras) o ciclo de reciclagem é visto com grande influencia social e econômica.

Seguindo essa linha promissora, a marca paranaense Serra do Atlântico lançou sua água mineral na versão lata de alumínio, de 310ml. A nova embalagem está sendo produzida pela Ball Corporation, que por sua vez, é expert nesse tipo de fornecimento no Brasil e exterior. A justificativa da marca para o lançamento, encontra-se nas palavras do seu diretor, que diz: “A empresa mantém procura constante por modelos mais sustentáveis de produção e de embalagens. Agora estamos avançando nesse sentido. O alumínio é 100% e infinitamente reciclável” declara Christiano Loureiro.

A lata de alumínio é a embalagem mais sustentável da cadeia de bebidas, com taxa de reciclagem de cerca de 97,6% no Brasil. Além disso, agrega outras vantagens: é inviolável, oferece maior segurança ao consumidor, permite a certeza da procedência da bebida, além de gelar mais rápido. São inúmeros pontos positivos, certo?!

A marca não se limita quando o assunto é sustentabilidade. Desde fevereiro, 90% da energia necessária para manter sua linha de produção, instalada aos pés da Serra do Mar, em Morretes, vem da energia solar

“A Serra do Atlântico mantém uma procura constante por modelos mais sustentáveis de produção e de embalagens. Agora estamos avançando nesse sentido, aderindo à guerra contra o plástico”, continua o diretor: “O alumínio é 100% e infinitamente reciclável. Atualmente o Brasil é o líder mundial na reciclagem deste material”. 

O que você acha sobre esse tema? Compartilhe em suas redes sociais!

Dicas de limpeza para esquadrias de alumínio

#Indústria #GrupoTamboré

Durabilidade é uma das principais características do alumínio. Janelas ou portas feitas com esse material podem durar muitos anos.Porém para que isso aconteça, uma série de medidas preventivas devem ser tomadas.
Aqui, iremos apresentar algumas dicas para manter suas esquadrias sempre lindas e preservadas:


1- Limpeza adequada
A limpeza deve ser feita com solução de água morna e detergente neutro, com esponja anti risco ou pano macio.
Caso esteja em uma área marítima ou industrial, deve realizar este procedimento a cada 3 meses e se mora em uma área urbana ou rural, deve repetir este procedimento a cada 12 meses.
Os trilhos da janela inferior deve ser limpos com mais frequência para evitar o acúmulo de poeira e incrustações, o que tornará a abertura e o fechamento mais difícil no longo prazo. Não use objetos cortantes pontiagudos para limpar os cantos de difícil acesso, opte sempre por uma escova ou pincel de cerdas macias.
Esqueça vaselinas ou removedores, apesar de deixarem as superfície mais brilhante e macia no primeiro momento, os componentes desse produtos podem agir como abrasivos, atraindo partículas de poeira, o que irá reduzir a durabilidade de sua esquadria.

2 – Manutenção preventiva
A manutenção preventiva consiste em trocas de peças que estão começando a perder o funcionamento parcial ou total, como por exemplo: Roldanas, escovas e borrachas de vedação, vidro, puxador ou fechadura drobadiças.

3 – Cuidados com pinturas

Vai pintar sua residência? Então cuide bem das esquadrias, cobrindo com fitas adesivas de PVC, cuidado com as fitas crepe, pois pode manchar as peças em alumínio caso tenha um contato longo. Se a tinta respingou na esquadria, limpe imediatamente com um pano umedecido em solução de água e detergente neutro.

4 – Não lubrifique as esquadrias

Muito cuidado, não é recomendado lubrificar as esquadrias pois podem danificar o material, piorando-o ao invés de melhorá-lo, pois as roldanas e articulações trabalham sobre uma camada de nylon autolubrificante.

Você sabia dessas informações? Compartilhe em suas redes sociais.

Tipos de Indústrias

#Indústria #GrupoTamboré

Você sabe diferenciar os tipos de indústrias? Fizemos esse artigo para explicar a atuação de cada uma. Continue lendo.

As indústrias de bens de produção, conhecidas como indústrias de base, são as que transformam a matéria-prima bruta, encontrada diretamente no meio natural, em matéria-prima processada, que mais tarde será usada em outros ramos industriais.

Já as indústrias de bens intermediários são aquelas que produzem bens manufaturados para outros ramos. Ou seja, para a produção de outros bens.

E por fim, as indústrias de bens de consumo, que produzem diretamente para o mercado consumidor. São divididas entre indústrias de bens duráveis e bens não duráveis. O primeiro diz respeito às mercadorias que podem ser usadas por bastante tempo, como roupas, sapatos e eletrônicos, por exemplo. E o segundo, é sobre produtos com prazos de vencimento curtos, como alimentos perecíveis.

Resumindo, indústrias de base são, por exemplo: mineradoras, petrolíferas, metalúrgicas.

As industrias de bens intermediários: aquelas que produzem produtos químicos, borracha, plásticos.

E as indústrias de consumo, são, as de automóveis, móveis, eletrônicos e eletrodomésticos – no caso das de bens duráveis; e de alimentos, têxtil e farmacêutica no caso das de bens não duráveis.

Você sabia dessas informações? Compartilhe em suas redes sociais.

Dia do Técnico em Eletrotécnica

#Indústria #GrupoTamboré

Em comemoração ao Dia do Técnico em Eletrotécnica e em agradecimento a todos esses profissionais, preparamos um conteúdo bem bacana sobre o ramo e seu vasto mercado. Continue lendo.

No campo prático, este profissional é responsável por projetar e instalar sistemas de acionamento elétrico; instalar e realizar a manutenção de iluminação e sinalização do local; atuar em todo o processo de transmissão e distribuição de energia; elaborar e desenvolver projetos de instalação elétrica e de sistemas de telecomunicações em construções; planejar e instalar equipamentos e sistemas elétricos e; medir o uso eficiente de energia elétrica e fontes de energia, por exemplo.

Por ser um trabalho bastante amplo, o indivíduo precisa passar por um curso técnico que aborde as três áreas gerais da atividade: elétrica geral, elétrica industrial e de motores e máquinas e processos. Geralmente esses cursos tem duração de 2 a 3 anos, e aborda estudos ensaios e testes industriais, assim como, práticas para a manutenção de sistemas elétricos. Para tanto, é necessário também, cursar disciplinas como: desenho técnico aplicado, gestão da manutenção, projetos de sistemas, leitura e interpretação de desenho e entre outras.

Basicamente, todo tipo de indústria precisa do profissional. Cito as principais: usinas hidrelétricas, termelétricas, eólicas, solares; indústrias metalúrgicas; empresas de distribuição de energia elétrica; empresas de água e saneamento; empresas de construção civil; empresas telecomunicações; empresas de instalação e manutenção de equipamentos elétricos; escritórios de projetos técnicos e; indústrias petrolíferas.

Estima-se que sejam geradas mais de 17 mil vagas para técnicos em eletrotécnica nos próximos anos, portanto, esse mercado está em ascensão.

O Grupo Tamboré Alumínio reconhece e parabeniza todos os profissionais técnicos em eletrotécnica! Sem vocês, nossas indústrias não brilhariam! Parabéns.